Nesta segunda-feira (30), às 17h30, a Defensoria Pública de Carazinho assinou Termo de Compromisso de Implementação de Política de Inclusão Social, em conjunto com o Zes Supermercados Ltda, localizado no município. 

Consta no termo que os supermercados Economia e E-atacarejo se comprometem a manter um percentual mínimo de 25% de funcionários(as) negros(as), deficiêntes, idosos(as) e indígenas. O percentual será implementado de forma progressiva, mediante novas contratações, devendo ser atingido até o final de dezembro de 2021. A cada três meses os supermercados terão o dever de atualizar a Defensoria Pública em relação à evolução do percentual. 

A Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Sul elaborará atividades de educação em direitos para os funcionários do Supermercado Economia, tais como palestras, cartilhas educativas e afins, se mostrando à disposição dos integrantes dos referidos grupos vulneráveis para eventuais intercorrências relacionadas ao termo. 

Os defensores públicos responsáveis pelo termo Marcelo Martins Piton, Antonio Marco Wentz Brum, e a defensora pública Daniele da Costa Lima, afirmam que é necessário elaborar parcerias com a iniciativa privada com o objetivo de combater a discriminação em todos os âmbitos da sociedade, e que os grupos sociais vulneráveis merecem especial proteção, para promoção e efetivação do desejo de uma igualdade substancial.

 

“Trata-se do primeiro termo de cooperação celebrado entre a Defensoria Pública e a iniciativa privada, em nível nacional, para a reserva de cotas para grupos sociais vulneráveis. É indiscutível que negros, idosos, portadores de deficiências e indígenas merecem especial proteção, e quando o setor privado demonstra interesse em firmar um termo com a reserva de 25% das suas vagas de empregados para os referidos grupos sociais vulneráveis, temos uma iniciativa que de fato propiciará a inclusão social. Hoje, isso é possível, uma vez que a rede de Supermercados Economia e E-atacarejo, desde o primeiro contato, mostrou-se uma parceira da Defensoria Pública. É com esse tipo de medida que saímos do abstrato e caminhamos para o concreto. É com esse tipo de medida que combatemos a discriminação. É com esse tipo de medida que construiremos uma sociedade verdadeiramente igualitária”, concluiu o defensor público, Marcelo Martins Piton. 

30 de Novembro de 2020

Logos Banrisul e Brasao Governo