Na segunda-feira (27), às 19h, em comemoração ao Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra (25), a Comissão Especial de Igualdade Racial (CEIR) promoveu o II Seminário Tereza de Benguela - Mulheres negras na política, com apoio da ADPERGS. O seminário teve como objetivo dar continuidade às ações institucionais de combate ao racismo, e refletir sobre os desafios e perspectivas para o protagonismo das mulheres negras na política, no Brasil e na América Latina. A Defensora Pública Gizane Mendina Rodrigues foi uma das palestrantes convidadas, a presidente da ADPERGS, Juliana Lavigne, estava presente. 

O evento batizado com o nome da líder quilombola Tereza de Benguela teve a intenção de homenageá-la, já que sempre foi símbolo da luta da mulher negra. Tereza viveu no século XVIII e comandou um quilombo de comunidade negra e indígena, em Mato Grosso. Sob sua liderança, o quilombo resistiu à escravidão por duas décadas, até 1770, quando a comunidade foi destruída pelas forças do Estado, e a população morta ou aprisionada. 

A videoconferência abordou temas como cotas de representatividade, e sua efetividade na política, as dificuldades enfrentadas pelas mulheres negras na política: interseccionalidade de gênero e raça, também sobre sororidade e a importância da data (25 de julho) para o feminismo.

Participaram do Seminário a presidente da Comissão Nacional de promoção da igualdade do Conselho Federal da OAB, Silvia Cerqueira; e a atriz, escritora, ativista e defensora das mulheres negras na ONU Mulheres, Kenia Maria.

Fonte: OAB/RS

28 de Julho de 2020

Logos Banrisul e Brasao Governo