A Campanha Máscara Roxa, que permite às farmácias do Rio Grande do Sul receberem denúncias de violência doméstica para encaminharem à Polícia Civil, foi lançada nesta quinta-feira (06) nas regiões da Fronteira Noroeste e Oeste. A defensora pública da Comarca Santana do Livramento, Luciana Zuheir Brada Guerra, representou a ADPERGS na atividade promovida pelo Comitê Gaúcho ElesPorElas, da ONU Mulheres.

Em sua fala, a defensora pública ressaltou a importância do projeto como forma de comunicação das mulheres vítimas de violência doméstica. “Por atuar na área de direito das famílias, me faz perceber que neste período de pandemia os casos estão aumentando significativamente. Não apenas pela convivência mais efetiva do casal dentro de casa, mas também pela falta de dinheiro que assolam as famílias. Assim, considerando que existem farmácias em todos os lugares, por menor que seja a cidade, poder a vítima contar esse canal de comunicação é importantíssimo”, afirmou. 

O lançamento regional contou com a participação da presidente da ADPERGS, Juliana Lavigne, da dirigente do Núcleo de Defesa da Mulher da Defensoria Pública, defensora pública Liseane Hartmann, e de representantes de órgãos de segurança, Poder Judiciário, Legislativo, movimentos de mulheres, proprietários de farmácias, lideranças locais e representações de instituições e da sociedade.

A Campanha Máscara Roxa foi motivada pelo aumento de casos de feminicídios no RS durante o isolamento social. Nos meses de março, abril e maio 28 mulheres foram assassinadas por questões de gênero, conforme dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Somente em abril, o aumento foi de 66,7% em relação ao mesmo mês do ano passado. 

Como funciona a campanha

Lançada no dia 10 de junho no RS, a Campanha Máscara Roxa permite que mulheres vítimas de violência doméstica façam denúncias em farmácias. Ela tem o apoio de todos os poderes, do Movimentos de Mulheres e da Agência Moove, que criou todas as peças publicitárias.

A campanha começou com 600 farmácias, e já são mais de 1.400 unidades de seis redes envolvidas – Associadas, Agafarma, Vida, Preço Mais Popular, Tchê Farmácias e Líder Farma.Nas Missões, 14 dos 25 municípios possuem estabelecimentos participantes.

Todas as farmácias com adesão estão com o selo “Farmácia Amiga das Mulheres”, que serve para que as vítimas as identifiquem. Os atendentes receberam capacitação online para o procedimento e para garantir a segurança da vítima. Ao chegar na farmácia a mulher deve pedir a máscara roxa, que é o código para que o atendente saiba que se trata de um pedido de ajuda. O profissional dirá que o produto está em falta e pegará alguns dados para avisá-la quando chegar. Após, o atendente da farmácia passará à Polícia Civil as informações coletadas, via WhatsApp, para que o órgão tome as medidas necessárias.

06 de Agosto de 2020

Logos Banrisul e Brasao Governo