Atuação dos AssociadosNotícias

Atuação de Defensores Públicos garante absolvição de assistidos, em Bagé

Os Defensores Públicos Wilian Gonçalves Bolfoni e Rafael Silveira Dourado atuaram na absolvição de dois assistidos que estavam em prisão preventiva há mais de três anos, acusados de cometer homicídio. O caso ocorreu em dezembro de 2017, no município de Bagé. 

Na época do acontecimento, os assistidos negaram participação no crime. De acordo com o Defensor Wilian Gonçalves Bolfoni, designado para atuar no plenário, um deles afirmou que possuía boa relação com a vítima, e que não havia motivos para querer realizar o ato. 

Apesar disso, os dois acusados foram mantidos em prisão preventiva durante três anos e meio. Segundo Bolfoni, a Defensoria Pública manejou diversos pedidos de liberdade e habeas corpus, sem lograr êxito. 

Durante o processo, um homem no interior do presídio assumiu a autoria do crime, declarando ter realizado o ato devido a uma briga com a vítima. Diante dos fatos, o Defensor Público Rafael Dourado recolheu as declarações do privado de liberdade e solicitou uma série de diligências, incluindo perícia da arma supostamente utilizada no crime e a oitiva, em juízo, do autor confesso, a qual, no entanto, foi indeferida pelo juízo. 

A petição do Defensor Rafael Dourado e o termo de declarações assinado pelo apenado, com a confissão, foram, ainda assim, argumentados no plenário, tendo sido, na visão de Bolfoni, fundamentais para a absolvição dos réus. Depois de cerca de quatorze horas de depoimentos das testemunhas, interrogatórios e debates, ambos foram absolvidos.

“Foi um plenário extenuante, com longa duração, uma instrução plenária pesada, com quatorze depoimentos, diversas consignações, impugnações, questões de ordem, tanto por parte da defesa quanto por parte do MP, debates longos e incisivos, acalorados, mas ao final se fez justiça”, declarou o Defensor Público Wilian Bolfoni.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo